Flow

Estou lendo Flow The Psychology of Optimal Experience do psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi, e amando! Estou no comecinho do livro, mas será que é impressão minha ou a idéia dele tem haver com budismo?

A Giorgia do Coisas Bobas me mandou um artigo com a entrevista que o psicólogo Steven Hayes deu à Veja, onde ele diz que ao invés de lutarmos para nos livrar de pensamentos e sentimentos que nos são negativos, devemos nos concentrar em aceitar o sofrimento como parte da vida, o que eu acho óbvio. Também acho que há muito mais em felicidade do que a ausência da dor como muita gente acredita. Dor, tristeza fazem parte da gente e o melhor que temos a fazer é enfrentar. Não temos como evitar a tristeza que a morte de alguém que amamos nos traz, mas vocês já notaram que se enfrentamos esta tristeza, logo aquela dor da ausência de um ente querido se torna menos ''doída'' e passamos a lembrar dos momentos felizes que compartilhamos com a pessoa?

Evitar dor e tristeza, como Hayes diz, é limitante. Concordo. Sempre tenho a sensação que enfrentar um momento díficil me traz mais conhecimento da situação, das pessoas e de mim mesma. É um processo de amadurecimento. Talvez por isto este programas/livros sobre "feel good" me irritem profundamente, pois existe aquela pressão de ser feliz, estar feliz, promover felicidade (e associo com a imagem do Tom Cruise pulando no sofá em um programa de tv). Sei lá, talvez tenha esta coisa de paixão onde qualquer sentimento, bom ou ruim, são sentidos com muita intensidade, e não seja uma pessoa de me esquivar de problemas.

E gosto de coincidências como esta. Comecei a ler este livro e em seguida encontro lá no Coisas Bobas parte da entrevista com Hayes. Se há alguma relação entre o que os dois dizem, ainda irei descobrir, mas com certeza ambos falam sobre concentrarmos no que realmente nos importamos e simplesmente fazer acontecer (just do it, get moving...), e o que vier pela frente simplesmente enfrente!

Obrigada Giorgia pelo artigo com o Hayes! Você é muito querida!

Bom domingo para todos, e hoje vou curtir o meu "flow'', ficarei em casa de pijaminha como gosto, sem horário para nada, simplesmente curtindo o que me der vontade de fazer, e se não tiver vontade de fazer nada, também vou curtir isto...(nada didícil, diga-se de passagem).

Beijocas.


8 comentários:

poemusicas disse...

Ha algum tempo atras eu estava envolvido com a confecção de tapetes de couro, textos de mesas de pedra, abajours de couro e outros. A isso eu me dedicava de uma maneira excomunal, trabalhava direto. Fiz três esposições, uma aqui, duas em Brasília. Vendi quase tudo e, ai me afatei um pouco. Desde os meus 15 anos sou decicado à musica, componho, tenho discos gravados e algumas participações em alguns centros brasileiros.
Quanto as poesias, eu tinha já algumas coisas feitas. O blogger, por ser originalmente de poesias,me incentivou mais a produzir, hoje por exemplo fiz as duas primeiras.
Obrigado pelo teu comentário.
Naeno

Giorgia disse...

Que bom que vc gostou!
Obrigada pelo link!
Excelente semana para vc,
Beijo,
Giorgia

Claudia disse...

Edê, parabéns pelo aniversário do blog. :) E sabe que isso me botou pra pensar... eu encaro dor e sofrimento hoje em dia como aprendizado.. :) Boa semana pra ti!
Ah.. preciso de um roteiro de Sydnei... the best in 5 or 7 days.. ajuda??? :)

Edelize disse...

Naeno Fascinante a sua história! E sua capacidade de gerar coisas tão lindas. Parabéns!

Georgia Obrigadíssima! Um beijo e boa semana!

Claudia Com o maior prazer! Farei algo bem legalzinho para quem quiser conhecer esta cidade em uma semana. Já tenho algo começado e até o final de semana te passo. Vai dar uma esticadinha aqui depois da lua de mel? Tomara! Beijos!

Ione disse...

Acho que é por aí, mesmo... Encarar as dores de frente também espanta certos fantasmas. Mas que dói, dói de qualquer jeito, né? Ei, que foto bonita!
Beijocas!

Edelize disse...

Ione Bem verdade, não tem como evita-lá, então o negócio é encarar mesmo. Beijos!

Paulo Nunes Jr disse...

Oi Ede,

Eu nunca li nada de auto-ajuda... Concordo com voce que enfrentar os problemas, passar por situacoes dificeis nos fortalece. Por isso que quem tem tudo de mao beijada na vida nunca da valor.

Beijos

Edelize disse...

Paulo As vezes a gente acha que não há soluções, desanima, sente de vontade de jogar tudo pros ares, mas nada como o gostinho da conquista, não é mesmo? Tem mais valor quando lutamos, vamos atrás das coisas que queremos... Beijocas.

Blog Widget by LinkWithin

Stats

Clicky Web Analytics

Foi assim...